quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

Crise Hídrica - Menos no Sambódromo

Uma cidade que passou por cima dos seus rios, não cuidou dos que restaram e agora está precisando da ajuda de outros estados e do céu. 


A região Sudeste do Brasil, enfrenta uma crise hídrica/estiagem/seca. E o problema está longe de acabar (pois a maioria da população não se deu conta que à água está acabando, em algumas localidades, já acabou). Enquanto alguns passam sede, outros sambam e ensaiam as coreografias para os desfiles de Carnaval.

Em São Paulo, “dois poços artesianos com capacidade para puxar até 410 mil litros de água por dia, e dois grandes reservatórios, que somam mais 900 mil litros, vão garantir o abastecimento de água no sambódromo do Anhembi durante os desfiles das escolas de samba, entre os dias 13 e 16 de fevereiro”. (Texto retirado do Estadão Conteúdo).

Outra medida adotada pelo o governo é o racionamento da água em alguns bairros...Resumindo: O pobre é que mais sofre.
Será que esse racionamento vai chegar aos hotéis de luxo que irão hospedar os turistas que estão chegando para ver/pular/curtir o Carnaval?!

No Rio de Janeiro, capital mais quente do país, superando Teresina (conheci esse calor) e Cuiabá, que são as capitais que têm os índices mais elevados de calor, o Carnaval já começou e com ele os turistas vêm chegando, aumentando o consumo de água e de energia. E com esse calor todo o povo quer beber água, tomar banho e ficar no frio do ar cordicionado. mas só que agora, vai ter que racionar também. Mas isso, só depois do Carnaval, pois nenhum Governador quer se queimar logo na maior festa ‘camarotizada’ do Brasil.

Sambar e decorar o samba enredo é o que interessa, depois eles vão atrás de água em outros estados.

E o Governador do Amazonas, José Melo, disse que vai levar água para quem têm sede. “A proposta do governador é levar água de rios do Amazonas para as regiões que sofrem com abastecimento, dentre elas, o Nordeste e o Sudeste. Uma das sugestões é utilizar água de um dos mais extensos rios do mundo e de maior fluxo de água por vazão: o Rio Amazonas”. (Texto retirado do G1)

Pelo visto, vamos ter mais uma transposição. Já não basta uma que devastou à Caatinga aqui no Nordeste, e ainda rouba as águas do Velho Chico, sem realizar programas de revitalização. Vamos ter uma que vai cortar o Brasil no meio.


Segue um link de uma reportagem realizada pela UOL TAB, sobre essa crise que o estado mais rico do país está sofrendo: http://tab.uol.com.br/agua/

                                                                                                         
Texto e arte de minha autoria. Com informações do G1 e do Estadão Conteúdo. 
Postar um comentário