segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Um pouco da minha "grande família"



Olá, hoje estarei contando a historia da minha família, vocês já estão acostumados com as fotos que coloco aqui dos meus momentos em família, mas ainda não contei nada sobre elas, o que esta por trás de cada foto, e por isso que estarei fazendo um relato sobre a minha "Grande Família".

Então vou começar, primeiramente irei dividir a minha família em duas partes, a parte do meu pai que tem os sobrenomes Silveira e Prazeres e a parte de minha mãe que tem como sobrenomes Alves e Andrade. Vou contar primeiro da parte do meu pai, Emanuel Silveira dos Prazeres, e depois falo da parte da minha mãe, Maria Cristina Andrade Alves.


Família: Silveira dos Prazeres


Bom,  da família do meu pai, eu sei pouca coisa,  por causa que a maioria deles, moram em Salvador-BA e eu só vou para lá nas ferias e eles não são muito de contar sobre o passado, de como surgiu a família, a unica pessoa que eu conversava sobre isso era minha avó, e só lembro de algumas coisas que ela me contava.Sei que a minha bisavó, Maria Escopeta da Silveira, por parte de pai era imigrante italiana, e se instalou na cidade de Nazaré "das Farinhas", no recôncavo baiano e foi nessa cidade onde meu pai nasceu, e ainda não tive o prazer de conhece-lá. A outra coisa que eu sei sobre essa parte da minha família, é que ainda tenho alguns parentes na Itália, e que até um primo meu foi ver se encontrava alguns deles, mas não teve exceto em suas buscas.

Família: Andrade Alves

Agora da família de minha mãe, eu sei bastante coisa, por que convivo mais tempo com eles, e a cada encontro de família (casamento, aniversários, confraternização de fim de ano, natal), ou até mesmo uma visitinha no  Domingo na casa de Dona Olga, minha avó por parte de mãe, tem que ter alguma história pra escutar. Uma coisa que eu amava, era ir na casa de minha bisavó, e escutar ela contar sobre a vida dela e como ela criou cada filho. Mas dentre todas as historias que a minha bisa contava, eu gostava de uma, que é sobre Lampião. Um certo dia, ela estava costurando uma almofada, e o bando de Lampião passou pela rua dela e então ela com medo de ser roubada, porque estava com um anel de ouro, tirou o anel do dedo e o colocou na almofada que estava costurando; ele só pediu um pouco d'água e perguntou a minha bisa, porque ela estava nervosa, e ela disse que não era nada, e ele se virou e saiu, agradecendo pelo copo d'água. 

Os Andrades, são de Salvador-BA, da parte de meu avô Perminio e os Alves são de Juazeiro-BA, da parte de minha avó, foi assim que eu aprendi a falar sobre a minha família, quando eu era criança. Na parte dos Andrades, ainda tem parentes que eu não conheço; agora com a modernidade da internet e por causa do Facebook, estou conhecendo alguns deles.

Essa foi uma breve história da minha "grande família", família essa que não para de crescer, não para de me da alegria, sempre estão me dando conselhos, me apoiando nas minhas decisões e estão torcendo por mim. E também vou ajudar a crescer mais essa família, junto com minha namorada estarei realizando meus sonhos, profissionais e pessoais.

Obrigado, meu pai e minha mãe, pelos ensinamentos e apoio dado até hoje.


- Texto produzido para a aula de Introdução a Filosofia 

Postar um comentário