sábado, 11 de junho de 2011

Esse é Bahia: Ávine completa 200 jogos com a camisa tricolor

Foto: Arisson Marinho

Ávine quer vencer no seu jogo de número 200

Cecílio Angelico | Redação CORREIO
cecilio.angelico@redebahia.com.br

Se tem um jogador no elenco que sabe o que é ser Bahia, é Ávine. Com 11 anos de casa, o camisa 6 completa amanhã, às 16h, diante da torcida, 200 jogos com a camisa tricolor. O adversário é o Atlético-MG.

A marca impressiona, ainda mais quando se fala de um atleta com apenas 23 anos. Destaque na Copa São Paulo, em 2006, Ávine estreou entre os profissionais no Baiano, dias depois.

O jogo? Atlético de Alagoinhas 0x1 Bahia, dia 1º de fevereiro, em Catu. Mas nem o próprio jogador lembra mais. “Rapaz, você me pegou agora. Não me lembro contra quem foi, não. De lá pra cá, foram muitos jogos, muitas alegrias e tristezas. Agora, completando esses 200, e com a vitória domingo (amanhã), vou ficar muito feliz”, disse.

Após passar por altos e baixos, Ávine conquistou a torcida. Hoje, é ídolo e símbolo de raça em campo. O jogador faz questão de demonstrar o carinho que tem pelo clube. “O Bahia significa tudo para mim. Muita luta e sacrifício. Amo esse clube e sempre vou brigar para fazer o melhor aqui”.

Como em todo casamento, Ávine viveu alegrias e tristezas no Fazendão. “A queda do Bahia pra terceira divisão é o momento mais triste que passei. O mais feliz foi o acesso pra Série A”, frisou, sem esquecer do feito de ter marcado o último gol da Fonte Nova, no 3x0 contra o ABC, dia 22 de novembro de 2007. “Eu fiquei muito feliz pelo fato de ter feito o gol e ter ficado para sempre na história do Bahia”.

No início da trajetória, Ávine era questionado pelo estilo bad boy. Tudo mudou no ano passado, com a chegada de Ávine Júnior. “Contribuiu para que eu amadurecesse muito e passei a avaliar as coisas com mais tranquilidade”, garante.

Com 200 jogos na conta, o lateral projeta muito mais em partidas e conquistas. “Quem sabe a gente consiga aumentar essa marca aí. Esse ano tem a Copa Sul-Americana que a gente pretende chegar, a Libertadores e vamos brigar forte pelo título. O Bahia é time grande, que já foi campeão nacional e estamos montando uma equipe forte. Se entrar focado, com determinação e achando que pode chegar, nós vamos chegar forte”, finaliza o jovem veterano tricolor.

Diabo Loiro
A diretoria do Bahia busca um atacante e negocia com Júnior, 35 anos, ex-Vitória e que está na reserva do Ceará. O Diabo Loiro comemorava gols em Ba-Vi cavando a cova do Bahia.

Postar um comentário