quinta-feira, 9 de junho de 2011

Se Jobson jogar, Atlético-MG pode devolver Nikão ao Vitória

A escalação de Jobson no jogo contra o Atlético-MG, domingo (12), em Pituaçu, poderá trazer desdobramentos até então inesperados para o Bahia. Em entrevista à rádio Itapoan FM na noite desta quarta-feira (8), Eduardo Maluf, diretor de futebol do Galo, afirmou que há um trato documentado entre as duas diretorias e deixou a entender que o Bahia sofrerá punições caso ele entre em campo contra seu ex-time. Uma delas, por exemplo, pode ser o retorno de Nikão ao Atlético-MG e até sua devolução ao Vitória.

"Existe um documento interno entre Bahia e Atlético-MG. O empréstimo de Nikão, por exemplo, foi feito a partir de um acordo de cavalheiros para ajudar ao Bahia. Se Jobson vai jogar ou não, é o Bahia quem sabe o que fazer", disse Maluf. Nesta quarta, o presidente tricolor Marcelo Guimarães Filho disse que o atacante estará em campo domingo e que o Bahia vai arcar com ônus ou sanções judiciais futuras.

Segundo o dirigente atleticano, este documento foi a solução para que Jobson vestisse a camisa do Bahia. Poucos dias após chegar ao Fazendão, o Atlético-MG exigiu o retorno de Jóbson uma vez que ele tinha contrato até o final do ano. Ele deixou a Cidade do Galo com a pretensão de retornar ao Botafogo, dono dos seus direitos, mas o Alvinegro não o quis de volta. Para que conseguisse a liberação do atleta, o Bahia teve que negociar com o time mineiro e informações dão conta de que o Tricolor pagou o valor que o Atlético-MG devia ao Botafogo.

Por isso, caso confirmada a escalação, o time mineiro deve tomar medidas contra o Bahia na segunda-feira. Maluf não adiantou a possível posição do Atlético-MG, mas tentou intimidar. "Eu não tenho dúvidas de que nós ajudamos ao Bahia na cessão desses dois jogadores (Jobson e Nikão) e não acredito que haverá problemas", finalizou.

Nikão
A direção do Galo rompeu os laços com o Vitória depois que o time baiano negociou Elkeson com o Botafogo. Em represália, tirou Nikão da Toca e o colocou no Fazendão. Na época, um comunicado no site oficial do Atlético-MG explicava que o Leão havia desrespeitado a parceria entre os dois clubes a não dar prioridade na venda do meia-atacante. "Está sendo uma via de mão única". Em 2010, o time mineiro emprestou o atacante Evandro e o meia Renan Oliveira para o Vitória. Alexi Portela, presidente rubro-negro, se defendeu dizendo que o Atlético-MG não formalizou proposta por Elkeson.


Fonte:Correio da Bahia
Postar um comentário