sexta-feira, 29 de julho de 2011

Bahia toma gol no último lance e empata com o Vasco em São Januário

Uma bola alçada na área no último minuto do jogo e todo o esforço foi por água abaixo. Após abrir o placar aos cinco minutos do primeiro tempo e segurar a pressão adversária durante toda a partida, o Bahia cedeu no fim e empatou com o Vasco por 1 a 1 nesta quinta-feira (28), em São Januário. Reinaldo fez o gol tricolor e Elton igualou. A noite, no entanto, foi do goleiro Marcelo Lomba, que defendeu quase tudo.

Com o empate, o Tricolor chega aos 12 pontos e assume a 16ª colocação. Os comandados de René Simões deixam a zona de rebaixamento, mas o Santos está com três jogos a menos. O Vasco caiu para quinto, com 21. No próximo domingo (31), o Bahia recebe o Figueirense, em Pituaçu, enquanto o Vasco visita o São Paulo, no mesmo dia. O jogos valem pela 13ª rodada da Série A.

A torcida do Bahia não imaginava que a nova dupla de ataque mostraria serviço tão cedo. Com a contribuição de Ávine, que partiu em contragolpe pela esquerda. O lateral tocou para Souza, que recebeu a bola na pequena área e protegeu antes de deixar Reinaldo livre para abrir o placar. Bahia 1 a 0 aos cinco minutos do primeiro tempo.

Logo depois do gol, o Bahia recuou completamente e deixou o Vasco mandar na partida pelo restante do primeiro tempo. Da direita ou esquerda, do meio ou na bola pelo alto, o Alvinegro carioca tentou empatar, mas a zaga tricolor não dava espaços e Lomba segurava todas. Aos 14, Felipe mandou a bomba da entrada, mas o goleiro do Bahia não deu rebote.


Reinaldo abriu o placar do jogo nos primeiros minutos do jogo, mas cedeu empate

A torcida vascaína depositava as esperanças nas faltas cobradas por Juninho Pernambucano, mas eram os chutes de fora da área que levavam mais perigo. Aos 25, o mesmo Juninho experimentou de fora da área, mas Lomba espalmou. Um minuto depois foi a vez do goleiro defender chute de Alecsandro. Aos 41, Alecsandro teve a melhor chance do primeiro tempo, mas mandou rente à trave direita.

Mesmo sofrendo pressão e errando passes curtos, o técnico René Simões não mudou o esquema do Bahia para o segundo tempo. Assim, o Vasco continuou em cima do adversário em busca do empate. E Lomba, com suas defesas milagrosas. Aos oito, o goleiro tricolor abafou cabeçada de Dedé na pequena área. Um minuto depois, o Bahia criou sua melhor jogada desde o gol marcado. Reinaldo partiu pela esquerda, chutou cruzado e por pouco Souza não completou para o gol.

Aos 15, Juninho Pernambucano cobrou falta com categoria da entrada da área, mas Lomba, em noite espetacular, espalmou bonito. Aos 19, Dedé desperdiçou outra chance na pequena área, quando completou cruzamento da pequena área. Para tentar sair do sufoco, René Simões colocou Gabriel e Ricardinho nos lugares de Lulinha e Hélder. Somente aos 32 minutos o Bahia saiu do sufoco. Reinaldo recebeu de Ricardinho e assustou Prass em chuta da entrada da área. A bola tirou tinta da trave.

O Vasco tentava aproveitar até os erros do Bahia para empatar o jogo. Aos 39, Titi errou o domínio de bola e Marcelo Lomba teve que sair do gol para abafar a chegada de Elton. Aos 42, Juninho Pernambucano tentou estufar as redes em nova cobrança de falta, mas Lomba espalmou. Aos 45, foi a vez de Bernardo tentar. Ele arriscou da entrada da área. Bem colocado, Lomba segurou. Mas restava o último lance do jogo. Aos 49, Juninho Pernambucano levantou bola na área, Elton subiu e colocou no fundo do gol. O Bahia saiu de campo pedindo falta no goleiro Lomba.

Vasco 1 x 1 Bahia - 12ª rodada do Campeonato Brasileiro da Série A
Data: 28/07/2011
Local: Estádio São Januário
Árbitro: Sandro Meira Ricci (Fifa/DF)
Assistentes: Roberto Braatz (Fifa/PR) e Césa Vaz (DF)

Vasco: Fernando Prass; Fágner, Dedé, Anderson Martins e Márcio Careca; Rômulo, Juninho Pernambucano, Felipe (Leandro) e Diego Souza (Bernardo); Éder Luís e Alecsandro (Elton). Técnico - Ricardo Gomes

Bahia: Marcelo Lomba; Marcos, Paulo Miranda, Titi e Ávine; Marcone, Fabinho, Hélder (Ricardinho) e Lulinha (Gabriel); Reinaldo (Jones) e Souza. Técnico - René Simões


Fonte:Correio da Bahia

Postar um comentário