quarta-feira, 27 de julho de 2011

Seguranças posam com supostas cinzas de Amy Winehouse

Ex-seguranças de Amy Winehouse posaram para fotógrafos mostrando uma urna funerária contendo as supostas cinzas da cantora. Ao centro da foto, divulgada pelo site de celebridades TMZ, está Andrew Morris, citado como sendo o guarda-costas que encontrou o corpo de Amy no dia de sua morte e chamou o resgate.

O corpo de Amy Winehouse, que foi encontrada morta em sua casa no último sábado, foi incinerado nesta terça (26), numa cerimônia para amigos próximos e familiares no crematório Golders Green.

Ser cremada em Golders Green, tradicional região judaica de Londres, foi um pedido de Amy. A cantora também teria pedido que suas cinzas fossem colocadas ao lado das da avó Cynthia, cantora de jazz e grande influência musical para a neta.

Entre os presentes ao funeral desta manhã estavam Mark Ronson, produtor do álbum "Back to black", e a cantora Kelly Osbourne, filha do roqueiro Ozzy Osbourne.


Seguranças segurando caixas que teriam cinzas de Amy

De acordo com o porta-voz da família, Mitch Winehouse, pai da cantora, contou "várias histórias da infância" de Amy. A cerimônia terminou com a música "So far away", de Carole King. "Boa noite, meu anjo, durma bem. Mamãe e papai te amam muito", disse Mitch no funeral.

Segundo o tabloide britânico "Metro", o ex-marido de Amy, Blake Fielder-Civil, foi banido da cerimônia a pedido do pai da cantora. "Seria um completo insulto ele estar lá", disse Mitch. O jornal também diz que Blake ficou de fora do testamento de 10 milhões de libras, deixado pela cantora. O ex está preso cumprindo pena de 32 meses por roubo.

Cremação vai contra tradição judaica
Na segunda, publicações locais informavam que a cerimônia seguiria preceitos da tradição judaica.

A decisão teria sido tomada pelos pais de Amy, Mitch e Janis Winehouse, de famílias judias.

Nesse caso, no entanto, a cremação não seria permitida. No costume judeu, o corpo deveria ter sido enterrado. “Nós não permitimos cremação. Porque a vida foi dada e tem que ser devolvida. Não cabe a nós mudar o status do corpo. Isso é algo sagrado”, explicou o rabino Henry Sobel, em entrevista ao G1 nesta segunda.

Causa segue indeterminada

Uma necrópsia realizada nesta segunda-feira (25) no corpo de Amy Winehouse obteve resultados inconclusivos sobre o motivo de sua morte. Amostras de sangue e tecidos foram colhidas para analisar a presença de drogas, álcool ou outras substâncias suspeitas no corpo de Amy. Os resultados dos exames toxicológicos devem sair entre duas e quatro semanas. As informações são do G1

Postar um comentário