quinta-feira, 21 de julho de 2011

CAS mantém advertência, e Cielo está liberado para o Mundial

Cesar Cielo escapou da CAS (Corte Arbitral do Esporte) e está liberado para competir no Mundial de Xangai. Atual campeão nos 50m e 100m livre, o nadador teve sua advertência pelo uso da substância furosemida mantida e poderá defender suas conquistas. O Tribunal entendeu que o atleta não foi culpado nem negligente no caso de doping. Nicholas Santos e Henrique Barbosa receberam a mesma sentença. Vinícius Waked foi suspenso por um ano por ser reincidente.

O resultado pode ser considerado um divisor de água em audiências de doping. Até então, todos os atletas flagrados por furosemida haviam recebido pena maiores. O exemplo mais recente é o da também nadadora Daynara de Paula. Julgada pela Fina (Federação Internacional de Natação) em agosto do ano passado em caso muito semelhante ao atual, ela foi suspensa por seis meses e perdeu o direito de ir às Olimpíadas 2012, em Londres. Para Cielo, porém, pesou o fato de se tratar de um campeão olímpico e mundial.

O veredicto favorável marca ainda mais uma expressiva vitória na carreira do advogado Howard Jacobs. O norte-americano é um dos maiores especialistas em doping no mundo e em seu currículo constam clientes como Marion Jones, Tim Montgomery e Jessica Hardy.

Já em Xangai para a disputa do Mundial, Cielo volta às piscinas no próximo dia 24, primeiro dia do torneio e data da eliminatória dos 50m borboleta. Além desta prova, ele irá nadar os 50m e 100m livre, além do revezamento 4x100m livre e 4x100 medley.

ENQUETE

Entenda o caso

O doping

Cesar Cielo, Henrique Barbosa, Vinícius Waked e Nicholas Santos foram flagrados em exame antidoping durante o Troféu Maria Lenk, em maio. Eles testaram positivo para o diurético furosemida, que mascara a presença de outras substâncias proibidas.

O que alegou a defesa

Os nadadores alegam que a contaminação foi acidental e que não houve ganho aparente de rendimento. Uma cápsula de cafeína teria sido mal manipulada pela farmácia responsável.

O que disse a CBDA

Painel da CBDA se baseou em dados técnicos dos exames e em laudo da farmácia responsável pelo suplemente para isentar os atletas de culpa ou negligência e aplicar apenas uma advertência a eles. Com isso, todos perderam seus resultados do Troféu Maria Lenk.

Foto: AFPAmpliar

Cesar Cielo se mostrou bastante tranquilo em julgamento na última quarta-feira

O que pediu a Fina

A Fina apelou à CAS para que a punição fosse ampliada para um período de três meses de suspensão. Diante da realização do Mundial de Xangai, a Federação pediu urgência na avaliação do caso.

Regulamento da Wada (Agência Mundial Antidoping)

Os atletas são responsáveis por tudo o que ingerem e estão cientes da possibilidade de ingerirem algo contaminado.

O que pesou na decisão da CAS

Ficou constatada a falta de culpa e negligência por parte de Cielo e seus companheiros, além de cooperação no caso. Mas o fato de se tratar de um campeão olímpico e mundial também pesou politicamente para uma pena mais leve.

Pena prevista

Dois anos de suspensão é a pena única por doping se não há antecedentes. Com seus argumentos, a defesa trabalhou apenas para diminuir a sanção - neste caso, manter a advertência da CBDA.


Fonte:iG

Postar um comentário