sábado, 2 de julho de 2011

Substituir o insubstituível: ‘É uma honra’, diz Julinho Camargo

ulinho Camargo bem sabe que chega ao Olímpico para substituir o insubstituível. No início da tarde deste sábado, ao ser apresentado oficialmente como sucessor de Renato Gaúcho no Grêmio, o novo comandante do vestiário azul disse que não tem a menor pretensão de substituir o maior ídolo da história do clube, que deixou o cargo na quinta-feira. Aos 40 anos, o homem que era o braço direito de Falcão no Inter demonstra estar convicto de que pode assumir o maior desafio de sua carreira. Mas sem atropelar seu antecessor.

- Não tenho intenção de substituir o Renato. Ele é o Renato e sempre vai ser o Renato. O Julinho é o Julinho – disse ele.

Para o novo técnico do Grêmio, é uma honra substituir a figura mais representativa que o Grêmio já teve. E um desafio.

- Esse é um dos grandes desafios que vou ter aqui. Nenhum deles me assusta. Venho para cá para buscar objetivos primeiro no clube e depois pessoais. É um desafio e uma grande honra substituir o maior craque que teve nosso clube.

Julinho falou, repetidas vezes, “nosso clube”. De passagem muito forte pelas categorias de base do Grêmio, ele agora ganha chance com o elenco profissional. E promete colocar sua cara no time.

- Tem que ter conteúdo, liderança, sistemática, conhecimento amplo de todas as áreas concernentes a nosso dia a dia. Tenho uma historia de vida, em formação, em todos os aspectos. Eu me sinto com toda a tranquilidade para exercer esse trabalho. (...) Confio muito no meu trabalho. Sei bem o que faço. Garantir, ninguém pode garantir. Não tem jogo fácil. O que posso garantir é bom trabalho, é que a equipe vai saber o que faz em campo, vai saber quem é o clube por trás daquela camisa. Aos poucos, as coisas vão acontecendo. Mas a cara dessa equipe certamente vai ser a minha.

Em seu retorno ao Olímpico, Julinho comemora a chance de regressar. Ele se sente em casa.

- É um sentimento bom. Tive três passagens pelo Olímpico. Nos momentos em que me despedia, deixava claro que um dia eu voltaria. Sempre achei natural o treinador ter dois caminhos: um de subir pela base, outro de rodar e adquirir confiança, rodando em outros clubes. Volto de forma natural e encontro amigos que fiz aqui.

O contrato de Julinho Camargo com o Grêmio é de seis meses, até o final do ano. Mas ele sente que a história não terminará em tão pouco tempo.

- Tenho certeza de que ao final desses meses teremos uma conversa para continuar com isso – afirmou.

O novo técnico do Grêmio já comanda seu primeiro treino neste domingo. A estreia é na quarta-feira, contra o Cruzeiro, em Sete Lagoas.


Fonte:Globoesporte.com

Postar um comentário