terça-feira, 5 de julho de 2011

Acordo de Pão de Açúcar não é questão do governo, diz Mantega

O ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou nesta terça-feira (5) que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) tem autonomia para decidir sobre uma possível participação na eventual fusão entre o Pão de Açúcar e as operações do Carrefour no país.

"Cabe ao BNDES julgar se isso está dentro de seus planos estratégicos.", afirmou o ministro.

A rede varejista francesa Casino, rival do Carrefour na França e sócia de Abílio Diniz na rede varejista brasileira, não aceita a fusão. Na véspera, o presidente do Casino, Jean-Charles Naouri, se reuniu no final da tarde com o presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, na sede do banco estatal, no Centro do Rio de Janeiro, para debater a ideia de fusão.

O Casino criticou o fato de Abilio Diniz ter iniciado negociações sem ser comunicado ao grupo, já que divide o controle do Pão de Açúcar através da holding Wilkes e detém 43% de participação no grupo brasileiro.

Mantega disse que não está acompanhando o assunto e que o financiamento "não seria do governo" e sim da parte técnica do banco de fomento. O ministro não quis comentar sobre o tema. "Nem sei se a operação vai ser configurada."

Mantega disse que o Ministério da Fazenda não está envolvido nas conversas entre o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e o Pão de Açúcar.

O Pão de Açúcar e o Carrefour enfrentam forte resistência do Casino ao plano de fusão anunciado recentemente, com participação do BNDES e do BTG Pactual.

O ministro conversou rapidamente com jornalistas após participar de evento organizado pelo BTG Pactual, em Londres, com o objetivo de apresentar as oportunidades de investimentos no Brasil. O presidente do grupo, Andre Esteves, e o executivo Pérsio Arida estavam presentes. O evento foi fechado à imprensa.

Mantega não tem agenda pública na tarde desta terça e participará apenas de reuniões. Na quarta, seguirá para Paris.

(Com informações da Agência Estado e do Valor Online)

Postar um comentário